b7.jpg

COMO É FEITO O VINHO TINTO

COMO É FEITO O VINHO TINTO  

SELEÇÃO DAS UVAS  

As uvas tintas* chegam à adega e são selecionadas em mesas de triagem. As frutas podem ser colhidas à mão ou por processo mecânico.  
* algumas misturas de vinhos tintos aceitam uma porcentagem pequena de uvas brancas, como os rótulos do Rhône, na França  

DESENGAÇAR E PRENSAR  

Os cachos selecionados são desengaçados (isto é, os engaços são retirados dos cachos para evitar o excesso de amargor e adstringência no vinho) e as uvas são levemente amassadas junto com a casca. A casca é a parte da uva que dá a cor e os taninos ao vinho tinto.  

FERMENTAÇÃO  

O suco e as uvas esmagadas (o mosto) são transferidos para tanques de fermentação de madeira ou aço inoxidável. O suco – ainda com a casca – começa a fermentação alcoólica por ação de leveduras nativas ou cultivadas. Ou seja, transforma os açúcares da fruta em álcool. Esta primeira etapa é conhecida como tumultuosa e ocorre em temperaturas de 25º a 30ºC.  

MACERAÇÃO E MALOLÁTICA  

A fermentação libera gás carbônico e a bebida borbulha, elevando as cascas e sementes da mistura para a superfície. Esta camada de partículas sólidas - que transmite a cor, os aromas e o tanino ao vinho - é empurrada ou bombeada repetidamente para o fundo para se misturar novamente ao mosto. A fermentação se completa quando todo açúcar se transforma em álcool. Um segundo tipo de fermentação pode ocorrer: é a malolática. Aqui o ácido málico (mais agressivo), o mesmo da maçã verde, é transformado em ácido lático (menos ácido).  

FILTRAGEM  

Nesta etapa, a bebida ainda é turva e apresenta sedimentos depositados no fundo do tanque resultantes das fermentações: bactérias, leveduras, resíduos sólidos e matéria orgânica. Para garantir a limpidez e a transparência do vinho, ele pode passar por vários processos: trasfegas, clarificação, estabilização e filtragem, que visam eliminar estas impurezas (algumas vinícolas dispensam o processo de filtragem, pois alegam que pode retirar elementos aromáticos e de coloração naturais dos vinhos).  

ENVELHECIMENTO EM BARRICAS  

Uma parte dos tintos de guarda envelhece por algum tempo em barricas de carvalho. Elas amaciam o vinho, transmitem alguns aromas de torrefação e quando bem utilizada integram estes sabores aos da uva sem sobrepor suas características. As barricas de carvalho mais usadas são as americanas e francesas.  

ENGARRAFAMENTO  

O vinho é finalmente engarrafado, arrolhado e lacrado com a cápsula que envolve a tampa. Numa fase final o rótulo é colado na garrafa e estas são empacotadas em caixas de seis ou doze volumes. Alguns vinhos também envelhecem alguns meses na garrafa antes de serem comercializados. O resto é com você.